HomeNewsAções da Oracle derrapam na maior queda de um dia deste ano

Ações da Oracle derrapam na maior queda de um dia deste ano

News Team

As ações da Oracle Corporation (NYSE: ORCL) tiveram seu pior dia este ano, fechando duas semanas de ganhos, depois que um analista da Berenberg iniciou a cobertura da empresa de software com uma classificação de espera.

O gigante de banco de dados com sede em Austin, Texas, caiu 5,2%, para US$ 72,12, no fechamento de quarta-feira em Nova York, sua maior queda em um dia desde dezembro. A liquidação de hoje ocorre depois que suas ações caíram na terça-feira em meio a uma queda nas ações de tecnologia, já que a inflação pior do que o esperado provocou um colapso no mercado amplo.

No início desta semana, a Oracle informou que as vendas fiscais do primeiro trimestre aumentaram 18% em relação ao ano anterior, impulsionadas por sua transição para a computação em nuvem e a aquisição do provedor de registros de saúde Cerner. A receita foi de US$ 11,4 bilhões, atendendo a estimativa média dos analistas, embora observando que as flutuações cambiais reduziram seus ganhos em 8 centavos por ação, para US$ 1,03.

O analista da Berenberg, Nay Soe Naing, iniciou a cobertura das ações com uma classificação de espera, observando que, embora a Oracle não esteja perdendo negócios para os concorrentes, os clientes que decidem fazer a transição para a computação em nuvem podem complicar e estender o processo para o fabricante de software. Mais da metade dos 33 analistas que cobrem a Oracle têm uma classificação de espera na ação, enquanto 12 recomendam a compra de suas ações e quatro sugerem a venda.

“Um terço da receita da Oracle veio de serviços em nuvem; esse é um espaço lotado e que está ficando cada vez mais lotado”, disse Michael Matousek, trader-chefe da US Global Investors.

Matousek disse que os ganhos podem ter “trazido muitas pessoas de alta frequência ou outros jogadores, que poderiam ter fornecido liquidez para detentores maiores descarregarem ações. Isso criou uma oportunidade de venda, e parece que esse é o caso da fita hoje.”